Como fazer um cardápio digital: passo a passo completo!

11.11.2019
Recebemos perguntas aqui no blog muito comum de como como fazer um cardápio digital, sendo uma tendência cada vez mais comum, clique e confire as dicas!

Uma dúvida bastante comum que a gente recebe aqui no blog é sobre como fazer um cardápio digital, uma tendência cada vez mais comum!

Diversos restaurantes, principalmente em outros países, já aderiram a essa modalidade. Afinal de contas, ela traz inúmeros benefícios tanto para os consumidores, quanto para empreendedores.

Ou seja, indo desde a redução das falhas nos pedidos, até mesmo do desperdício dos diferentes recursos para produção de um alimento e bebidas.

Além disso, outro benefício incrível é o aumento da produtividade. Tirando assim, o foco de atividades que demandam tempo desnecessário.

Vemos que o cardápio digital permite então, um melhor aproveitamento de forma ampla que auxilia ainda no aumento das vendas ainda.

Mas, como exatamente? Ao permitir assim, que os funcionários e investimentos possam ser focados em outros aspectos importantes além do atendimento.

Foi pensando nisso, que resolvi mostrar para você como fazer um cardápio digital, continue lendo e descubra agora mesmo.

Dicas de como fazer um cardápio digital? cardápio digital

O cardápio digital é uma das opções de tecnologias que vem surgindo com força para bares e restaurantes.

Sendo assim, projetado para trazer diversas melhorias dentro desses estabelecimentos. De modo a beneficiar ambos os lados dessa relação:

  • Consumidores;
  • Colaboradores.

Portanto, esse tipo de menu pode ser utilizado de diversas formas, tal como em tokens de autoatendimento do negócio que permitem que o cliente agilize seu pedido.

Do mesmo modo que, pode ser utilizado para marketing e divulgação na internet. Isso porque o arquivo pode ser facilmente veiculado em ambientes digitais!

Então, a seguir irei dar algumas dicas de como fazer um cardápio digital passo a passo.

1. Comece pelas fotos:

Um cardápio digital nada mais é do que um arquivo virtual que pode ser visualizado através de aparelhos eletrônicos, certo?

Desse modo, aqui as imagens terão melhor resolução possível e será preciso aproveitar isso. Portanto, o ideal é fazer um photo shoot de comida.

Isso nada mais é do que uma sessão fotográfica dos alimentos servidos em seu estabelecimento, de forma profissional.

Mas, sem problemas se você não puder investir em um fotógrafo. É possível tirar fotos lindas e incríveis de comida até mesmo com o celular!

A ideia é simplesmente que você veicule imagens reais, ou seja, dos seus pratos e não aquelas buscadas em banco de imagens.

Dicas para a sessão de fotos

Primeiramente é importante destacar que será preciso produzir pelo menos uma unidade de cada prato ou bebida do estabelecimento.

Em seguida, busque montar um cenário com os recursos à sua disposição. Tal como o próprio estabelecimento, você pode utilizá-lo para ambientar o produto.

  • Câmera: para tirar as fotos escolha uma profissional ou de celular, mas, que tenha uma qualidade um pouco melhor. Para celulares, existem até mesmo algumas lentes próprias de encaixe que podem ajudar nessa produção;
  • Composição: mesmo que o estabelecimento seja o local da foto, é preciso se atentar aos detalhes. Então, escolha louças bonitas, o melhor fundo, cuide da iluminação, prepare um belo empratamento e busque contrastes harmoniosos. A foto precisa ser atraente, para que, só de olhar a comida, o cliente sinta um apelo e abra seu apetite.

2. Defina um roteiro descritivo:

Tal como em um cardápio convencional, na hora de como fazer um cardápio digital você terá que descrever os pratos.

Contudo, aproveite esse ambiente menos limitado para utilizar a imaginação. Procure então, descrever de forma criativa e detalhada as preparações, por exemplo:

“Batata-frita rústica com molho” > “Batata-frita artesanal temperada com tomilho e pimenta rosa, acompanhada de maionese da casa”
“Milk-shake tentação” > Milk-shake de morango com pedaços, calda de chocolate cremoso e cobertura de chantilly de baunilha com confeitos”

A ideia é passar todos os elementos para o cliente de forma atrativa, podendo incrementar um toque lúdica e persuasivo!

Não esqueça de revisar…

Depois de criar todas as possíveis descrições do cardápio em um roteiro de rascunho, procure revisá-lo e corrigir tudo que encontrar de erro.

Isso porque, mesmo que as comidas e bebidas sejam mais importantes, uma escrita falha prejudica a imagem do negócio. Ou seja, é como se o local não se importasse o suficiente.

Se possível, contrate alguém que entenda do assunto para revisão, na internet você encontra quem ofereça o serviço a um preço bem acessível!

Esteja atento apenas a questão de versões do cardápio. Caso o texto revisado seja o rascunho, confira bem a versão digital para verificar se durante a cópia algo não saiu errado.

3. Design para fazer um cardápio digital:

Portanto, agora que você já tem as imagens e descrições para os seus pratos, é importante cuidar da estrutura do cardápio digital.

  • Layout: essa é a hora de você pensar em qual formato e estilo gostariam que o seu menu tivesse. Ou seja, ele pode ser padrão em num formato retangular ou até mesmo algo específico, como um símbolo. Você pode criá-lo como um livro, página lado a lado, ou até mesmo no comprido onde o cliente irá apenas deslizar a imagem para baixo de forma contínua até chegar ao final. Cabe aqui também, a temática tal como algo mais elaborado ou clean/minimalista;
  • Cores: você sabia que mais de 90% reparam no aspecto visual e baseiam sua compra também nisso? Dessa forma, busque escolher em seu cardápio cores que tenham a ver com o estilo da sua marca. Bem como, que estejam na mesma paleta de cores do seu logotipo, criando assim, uma identidade visual para seu cardápio digital. As cores são estímulos visual que criam não apenas sentimentos de atração, como associação, invista nisso!

4. Agrupe os tipos de preparo: hamburgueria

Outra coisa importante sobre como fazer um cardápio digital, é a disposição dos pratos e bebidas que serão comercializados.

Essa deve ser semelhante metodologia utilizada em menus convencionais. Seguindo assim, a ordem de consumo dos alimentos:

  • Aperitivos;
  • Entradas e saladas;
  • Pratos principais;
  • Sobremesa e café.

As demais bebidas, como sempre, recebem a sua própria sessão em que serão divididas por tipo alcoólicas (drinks e cervejas), sem álcool (sucos, água, mate, refrigerante, etc) e milk-shakes.

Separadamente, temos ainda a carta de vinho que pode ou não estar presente. Uma vez que, nem todo estabelecimento se volta a esse consumo.

Durante esse momento, classifique seus preparos e categorize como demonstrado acima, ou até mesmo de outra forma criativa.

Mas, de todo modo separe para tornar a leitura e decisão mais fácil, adaptando ainda ao layout escolhido!

5. Como fazer um cardápio digital integrado:

Uma das maiores vantagens do cardápio digital, é os benefícios que surgem graças a essa tecnologia, tais como:

  • Redução dos custos: principalmente, podemos apontar aquele com as atualizações do menu. Por ser um arquivo digital, os gastos serão bem menores ou até mesmo zero. Afinal de contas, o valor a ser pago será apenas pelo design, sem impressões, ou você mesmo fazendo;
  • Vendas digitais: esse cardápio ainda facilita o atendimento delivery, já que o arquivo poderá ser veiculado de inúmeras formas.

No entanto, o maior ponto de destaque é a possibilidade de oferecer um serviço de autoatendimento aos seus clientes.

O que gera ainda, outro tipo de redução de custos, aquele com contratações e erros nos pedidos, por exemplo. Bem como, o consequente desperdício de matérias-primas.

Mas, aqui a questão é que mesmo que você monte o cardápio, contratar um profissional para fazer sua integração com esses sistemas será essencial.

Criando assim, um tipo de aplicativo próprio para o estabelecimento, tanto para uso interno quanto externo. Algo que fará com que os pedidos sejam realmente automatizados.

Do contrário, a única diferença será que o cliente ao invés de olhar um cardápio de papel, irá olhá-lo em um tablet, celular ou telão.

6. Mas, e a precificação?

Outra coisa extremamente importante quando o assunto é como fazer um cardápio digital, é a disposição dos preços.

Aqui ela assume uma função ainda mais importante quando o assunto é autoatendimento. Pois, o cliente precisa saber o quanto irá pagar antes de pedir, certo?

Portanto, busque informar com clareza e objetividade, utilize ainda apenas o valor numérico”9,99″.

Mesmo que o uso do cifrão seja correto pela língua portuguesa, sua repetição se torna exaustiva. Logo, facilite a leitura por parte do cliente.

7. Marketing para o seu cardápio digital:

Por fim, o cardápio digital pode ser utilizado e beneficia muito um estabelecimento, através do marketing digital.

Uma vez que, ele pode ser incorporado às plataformas de delivery ou um aplicativo próprio da marca. Tal como, pode ser ainda veiculado através de atendimento via Redes Sociais e WhatsApp.

Não será em todos os casos que ele permitirá um autoatendimento, contudo, seu arquivo ainda serve para a divulgação e visibilidade dos produtos!

Conclusão

Vimos então, ao decorrer deste artigo dicas de como fazer um cardápio digital de qualidade para o seu estabelecimento, proporcionando:

  • Aumento nas vendas;
  • Capacidade de autoatendimento;
  • Redução dos custos e desperdícios;
  • Melhor aproveitamento dos recursos;
  • Elevação da produtividade humana.

Caso você ainda tenha alguma dúvida sobre esse assunto, comente-a abaixo para que possamos lhe ajudar.

Não deixe de me contar ainda se você já teve alguma experiência com esse tipo de menu!

Leia também:

Luan

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Suas informações foram enviadas com sucesso. Em breve nossa equipe entrará em contato.