Como montar um cardápio para restaurante: passo a passo!

08.11.2019
Todo empreendedor que possui um negócio no ramo alimentício em algum momento já teve dúvidas de como montar um cardápio. Clique e confira as dicas!
Como montar um cardápio

Todo empreendedor que possui um negócio no ramo alimentício em algum momento já teve dúvidas de como montar um cardápio.

Afinal de contas, como escolher os melhores pratos a serem servidos? Bem como, qual a melhor forma de precificar e descrever eles?

São diversas dúvidas importantes, pois, a criação do cardápio está diretamente relacionada com o potencial de faturamento, lucro e crescimento do negócio!

Portanto, algumas coisas devem ser consideradas sem falta. Desse modo, sendo preciso todo um planejamento.

Neste artigo irei dar então, algumas dicas simples e descomplicadas de criação que vão lhe ajudar nesse processo, confira agora mesmo.

Dicas de como montar um cardápio para restaurante

Dentro de um restaurante, o cardápio funciona como o maior objeto de marketing do local, apresentando assim:

  • Comidas;
  • Bebidas;
  • Sobremesas;
  • Etc.

Ou seja, é através dele que lanches e refeições são informados ao cliente. Hoje, alguns estabelecimentos utilizam versões digitais.

Seja por aplicativos ou até mesmo em telões, tablets e tokens de autoatendimento, mas, em todos os casos ela ainda possui a mesmo importância.

Isso porque ele serve para auxiliar o cliente em sua tomada de decisões. Desse modo, o quanto mais atrativo ele for, maior serão as chances de obter um pedido composto.

Afinal de contas, um cardápio bem elaborado leva o cliente a querer experimentar as opções, sendo atraído tanto por imagens quanto descrições!

Logo, podemos dizer que o cardápio contribui e impacta diretamente na identidade do seu negócio.

1. Qual o seu público?

A primeira coisa a se considerar na hora de como criar um cardápio, é o público que você deseja que frequente o seu restaurante.

Ou seja, qual é o seu perfil de cliente ideal e o que eles gostam. Isso porque você irá atrair apenas pessoas compatíveis com a experiência oferecida.

Por exemplo, se o restaurante for self-service você irá atrair principalmente um público executivo de pessoas que estão no horário de trabalho.

Considerar o público é essencial já que isso impacta diretamente na escolha dos pratos. Uma vez que, será preciso considerar características como:

  • Poder de compra;
  • Tempo de preparo;
  • Capacidade de produção;
  • Estilo da comida;
  • Concorrência local;
  • Faixa etária.

De maneira geral, restaurantes mais finos exigem um cardápio diferenciado, com pratos mais específicos e opções diferenciadas.

2. Monte um cardápio inteligente:

Independentemente do estilo de comida a ser servida no local, a escolha dos ingredientes deve ser feita de forma inteligente:

  • Insumos: tente sempre trabalhar com alimentos mais duráveis, que reduzem o risco de desperdício ou perda por validade. O ideal é apostar em alimentos que aumentem o giro do estoque e que possam ser utilizados em mais de uma preparação;
  • Agilidade: invista sempre em pratos que mesmo refinados, possam ser rapidamente feitos, aumentando a produtividade da cozinha;
  • Eficácia: ao invés de criar cardápios extensos, procure limitar as opções para cada grupo de modo a torná-lo mais objetivo. Os consumidores não gostam de perder tempo checando muitas opções. Por isso, busque trazer uma boa quantidade de opções, mas, sem exagerar na quantidade.

3. Imagens e design:

Essas são duas coisas extremamente importantes ao montar um cardápio, pois, o visual deve ser tão atrativo quanto as comidas.

Por isso, uma boa ideia é utilizar imagens reais dos pratos. Mas, apenas naqueles considerados carro-chefe, os mais pedidos!

O que você precisa entender ainda, é que a foto precisa ter qualidade e por isso, será necessário investir em um “book” desses pratos mais chamativos/atrativos.

Dessa mesma forma, o layout se mostra ainda mais importante, já que diz respeito à disposição das informações e nesse caso ela precisa ser:

  • Categorizada: entres os tipos de pratos, tal como aperitivos, entradas e saladas, sanduíches, principais, lanches, bebidas, sobremesa e café. Sempre seguindo a ordem de consumo ideal das refeições;
  • Precificada: é muito importante informar o valor, pois, ir a um local e precisar ficar perguntando valores torna a experiência desagradável. Mas, ao descrever esse, evite utilizar os cifrões por mais correto que seja. Isso porque visualmente isso deixa o cardápio cansativo e muitos estabelecimentos têm preferindo expor apenas números (exemplo: “39,99”) para suavizar o design.

4. Como montar um cardápio lucrativo:

Mas, para aumentar as vendas do seu restaurante é preciso seguir a famosa engenharia do cardápio desenvolvida por Kasavana e Smith.

Uma vez que, ela ajuda a identificar e apontar o momento de atualizá-lo. Segundo esse conceito, será possível entender o que manter ou o que retirar ao dividi-lo em:

  • Burro de carga: são pratos com volume maior de vendas, mas, de baixa lucratividade. Em geral, são aqueles que conseguem atrair o público. Para aumentar a lucratividade, é preciso encontrar formas de aumentar seu preço sem que haja perda na fidelização;
  • Estrelas: são pratos com baixo CMV (custo de mercadorias vendidas) devido tanto ao volume, quanto lucratividade altas. Por serem pratos que garantem o faturamento do estabelecimento, eles devem ser mantidos;
  • Problemas: são os pratos que além de vender pouco, possuem baixa lucratividade. São os pratos que devem ser retirados se permanecerem nessa classificação por muito tempo;
  • Desafios: por fim, temos aqueles pratos que apesar de serem altamente lucrativos, possuem poucas vendas. Uma forma de aumentar o faturamento, é reduzindo o seu preço sem afetar sua qualidade ou potencial de lucros para o negócio.

5. Busque economizar ao montar um cardápio:

Atualmente, uma das melhores formas de criar um cardápio atrativo e sem altos custos, é investindo em versões digitais.

Inicialmente o custo será maior, pois, serão precisos tablets ou outros aparelhos eletrônicos. Mas, a longo prazo eles se mostram mais econômicos e ainda ajudam na implementação do autoatendimento!

Conclusão

Ao longo deste artigo vimos cinco dicas simples de como montar cardápio para restaurante sem complicações!

De maneira resumida, o que você deve fazer é criar pratos inteligentes. Ou seja, adaptáveis ao público, com ingredientes em comum e práticos, capazes de aumentar e não reduzir a produtividade.

Em relação a sua apresentação, essa deve seguir um fluxo ideal de distribuição e utilizar de forma correta o apelo visual.

Lembrando sempre de investir na engenharia do cardápio e, se possível, na tecnologia alinhada as vendas.

O que você achou deste conteúdo? Deixe sua opinião nos comentários e compartilhe nas redes sociais.

 

Leia também:

Luan

2 respostas

  1. Ótimo trabalho!
    Após perder muito tempo na internet encontrei esse blog
    que tinha o que tanto procurava.
    Parabéns pelo texto e conteúdo, temos que ter mais
    artigos deste tipo na internet.
    Gostei muito.
    Meu muito obrigado!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Suas informações foram enviadas com sucesso. Em breve nossa equipe entrará em contato.